O trono de diamante de David Eddings

11 agosto 2016

O Trono de Diamante é o primeiro livro da trilogia Elenium, escrito por David Eddings, autor estadunidense, falecido em 2009. O livro foi originalmente escrito em 1989 e, foi traduzido pela Editora Aleph só em 2015. 


O Trono de Diamante
 David Eddings
Editora Aleph
2015 - 408 páginas
Este livro foi cedido pela editora como cortesia



O livro conta a história de Sparhawk, um cavaleiro da ordem dos Pandions e Campeão da Rainha, responsável por proteger a rainha Ehlana, porém o cavaleiro havia sido exilado há 10 anos de Elenia. Retorna então, pois Ehlana corre sério risco. Sparhawk quando retorna vê que a rainha está dentro de uma redoma de vidro que protege a sua vida, através de um poderoso feitiço lançado por Sephrenia, poderosa feiticeira do reino. Misteriosamente Ehlana fica doente, com sintomas parecidos com o que seu pai morreu e, então para sua proteção é colocada sob esse feitiço, que mantém seu coração batendo. 

Do outro lado temos Annias, primado da Igreja e membro do conselho real, que não quer Sparhawk perto de Elenia e muito menos perto de Ehlana, para isso manipula o princípe regente primo da rainha, para que aquilo que quer seja estabelecido no reino. 

O problema para Sparhawk é que, se não houver a solução do problema de saúde de Ehlana em 1 ano, ela morrerá, por isso, por causa de seu compromisso de proteger a vida da rainha, ele retorna para solucionar o caso. No decorrer do texto, muitos outros personagens se inserem na história para ajudar, ou atrapalhar Sparhawk na sua missão, porém vemos toda a história sob a perspectiva dele. 

Confesso que de início demorei para engatar a leitura,  acho que tenha a ver mais com o meu tipo de leitura, porque o livro é bem escrito, tem um texto que não  é cansativo e convence naquilo que se propõe. 

David Eddings é um autor bem reconhecido como escritor de literatura fantástica, confesso que não o conhecia, acho importante justamente, que as editoras possam nos presentear com livros que não temos acesso, e que são clássicos e com autores famosos porém, não traduzidos ainda no Brasil. 

Depois da primeira impressão de uma certa dificuldade, o livro desenrola bem e prende a atenção na trama toda de Sparhawk, que é um personagem-narrador, bravo e tipicamente um guerreiro com tom de medieval. Aliás toda a história tem esse tom, a não ser pela parte de feitiços e certos poderes que o próprio Sparhawk possui, poderia ser uma história de batalha medieval, pelo poder do trono de um reino.

Uma coisa que gostei muito nesta edição, é a diagramação que a Aleph fez, com grandes espaços e uma boa letra para leitura, como é um livro de história repleto de personagens, e muita contextualização e descrição, a diagramação pode e interfere na leitura, mas no caso deste livro, a estrutura de página ajudou demais. 

Para finalizar, recomendo o livro para quem gosta desse tipo de assunto, fãs de batalhas, senhores, princesas e espadas amarão o livro. As vezes, precisamos de histórias de heróis medievais que tem coragem e bravura para defender seus ideais. ;)

Até mais!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS