O Sentido de um Fim de Julian Barnes

09 julho 2014

O Sentido de um fim foi o livro vencedor do Man Booker Prize de 2011, e seu autor é Julian Barnes, escritor de origem inglesa, nascido em 1946.

O Sentido de um Fim 
Julian Barnes
Editora Rocco
160 páginas - 2012


O sentido de um fim é narrado por Tony Webster, personagem principal da história, todas as passagens são vistas pela perspectiva de Tony, apesar de envolver igualmente seus amigos, namorada e família, a história é narrada através e unicamente de sua perspectiva. 

O livro é dividido em duas partes, a primeira narra principalmente o final de sua adolescência e o começo da vida adulta durante seus anos de faculdade, e a segunda quando já com pouco mais de 60 anos, recebe uma notícia que o faz relembrar e repassar esses momentos durante a faculdade e adolescência e as consequências que essas decisões tomadas acarretaram em sua vida e de outras pessoas. 

O tema principal do livro é a memória, de uma certa forma uma reavaliação de determinadas decisões, de acontecimentos, é um relato biográfico de Tony Webster. De certa forma é um livro sobre o corriqueiro, uma vida mediana, sendo relembrada e reavaliada, já passou na cabeça de todos nós, se tal decisão fosse feita de outra forma, acarretaria uma curva diferente na vida por exemplo, Tony vai fazendo isso, vai buscando em si reflexões sobre as decisões que tomou na vida, o quanto foram ou não relevantes, o quanto foram ou não satisfatórias para ele. Esse vai e volta no tempo, faz com que os acontecimentos narrados aos poucos por Tony vão se entrelaçando e fazendo sentido ao longo da história. 

Barnes traz diversas discussões filosóficas ao longo de sua narrativa, os personagens não são aprofundados ou detalhados, o que vale mais aqui são as reflexões e o fluxo do pensamento de Tony, a sua progressiva busca por respostas e como que uma nova oportunidade de consertar erros do passado. 

Já vi algumas pessoas falarem que livros como este, se não houver uma certa proximidade com o tipo de escrita de Barnes a leitura não será satisfatória, a verdade é que com todos que conversei sobre esse livro, senti a dualidade do "ame-o ou odeio-o", acredito que não há meio termo, ou há identificação com a história ou não, justamente por tratar-se de uma narrativa basicamente focada nos pensamentos e dúvidas de Tony. 

Eu faço parte da turma do “ame-o”, é um livro curto, porém muito bem escrito, Barnes absorve nossa atenção de forma impressionante quando constrói não só bons diálogos, mas excelentes divagações filosóficas de Tony. 

É um livro conciso, profundo sem ser denso, com uma escrita fluída e completamente deliciosa. 

Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS