#BuddyReads: A Convidada do Casamento de Carson McCullers

21 março 2014

A Convidada do Casamento narra a história de Frankie, uma menina de 12 anos que passa a  viver verões de extremo tédio. Frankie começa a se confrontar com seu verdadeiro lugar no mundo, durante o período que o livro narra na vida de Frankie, a segunda guerra mundial está no seu auge, com notícias de morte, de confrontos e todo medo que isso gera. 

A Convidada do Casamento
Carson MucCullers
2008
231 páginas
Novo Século


Frankie mora com seu pai, sua mãe faleceu no seu nascimento e ela passa o dia com a empregada da família, Berenice, que acompanha a maior parte de sua vida e responde a maior parte de suas dúvidas. Outro personagem que também é constante na vida de Frankie, é John Henry, seu primo de 6 anos, que a faz companhia e é, praticamente seu único amigo. 

O irmão mais velho de Frankie está para se casar, o que lhe confere um certo sentimento de abandono, apesar do irmão que faz parte do exército, não ficar muito em casa e quase não a ver, a sensação de perda de Frankie se torna quase insuportável. São todos esses conflitos, associados ao fato daquela menina estar entrando em contato com questões da vida adulta, que fazem com que haja um intenso conflito na vida de Frankie.

O livro não narra fatos, acontecimentos importantes, são descritas, conversas, sensações, e pensamentos de Frankie, que atravessa um período difícil de sua vida, imersa em um tédio imenso, um verão de intenso calor, a narração do livro acompanha esse mesmo ritmo da vida de Frankie, por isso o livro pode parecer arrastado e mesmo cansativo. Vários períodos são narrados mas, parece que Frankie e o livro consequentemente, não saí do mesmo lugar. 

O livro é dividido em 3 partes que demonstram claramente as diferentes fases de Frankie no livro, que não só alterna comportamento e humor, mas também seu nome. A mudança de nome é significativa, enquanto Frankie denota a sua infância, F.Jasmine, seu segundo nome, corresponde ao nome do irmão e a de sua noiva e ao progressivo amadurecimento da personagem principal. 

Frankie questiona durante todo o livro onde é seu lugar, em casa ? ou com irmão e a noiva ? A falta de uma conexão com qualquer coisa, e até mesmo com o pai, fica evidente. É quando ela então se conecta ou se apaixona (nas palavras de Berenice) pelo casamento do irmão. É estranho pensar que essa menina de 12 anos descobre o amor através de um casamento, ou do relacionamento que o irmão e a noiva mantém, mas é isso que acontece, a rápida conexão com esse fato, faz como que F.Jasmine se reconecte com aquilo que a rodeia e numa tentativa desesperada de entender o que lhe acontecia, começa a narrar o que pretende fazer a todos na cidade onde mora. 

O irmão que trabalha para o exército vive viajando e conhecendo novos locais, e isso traz como que um consolo de que vivendo com eles, poderia de alguma forma se "encaixar" naquilo que nem sabia o que era. 

Já vi muitos comentarem que este livro tem um toque de O apanhador no campo de centeio, uma certa semelhança com Holden Caulfield, acredito que no caso dos dois livros, ambos passam por um momento de transição, o que leva a uma confusão e consequentemente a ideia de que de alguma forma não pertencem mais ao mundo que o cercam. Porém Holden é dinâmico, enquanto que Frankie passa por um período intenso de apatia e tédio. São crises parecidas, mas com consequências diferentes. 

Como disse é um livro de narrativa lenta, por vezes cansativa, mas feita de forma proposital, para que acompanhemos o mesmo estado de espírito e dúvidas que passam a personagem principal da história. Por isso, apesar de o livro ser relativamente pequeno, a leitura para mim foi lenta e arrastada, porque tratamos sempre de pensamentos, sentimentos e sensações das personagens. Entretanto, em vários momentos há uma certa poesia que é inserida na vida cotidiana, como sons de piano que acompanham a vida e os pensamentos de Frankie, músicas e sons que trazem o tom do livro. 

É um livro que trata de amadurecimento, do conflito de uma adolescente que começa a tomar contato com a vida adulta, como disse o livro é lento, mas não entenda isso como uma crítica, é uma apenas um característica da personagem que a autora acomapnha no mesmo ritmo com a narração do livro. É um livro que se coloca mais em relação ao aspecto psicológico da personagem ou seja, seus obstáculos e desafios internos ao tentar colocar os pingos nos is, do que uma ação em si. Nos dias quentes que andamos passando, corre o risco de nos inspirarmos em Frankie e começarmos a pensar na vida como ela. 

Até mais !

3 comentários:

  1. Que legal você ter comparado com "O Apanhador...". Eu sempre achei Holden parado - embora ele fique constantemente indo de um lugar para o outro e imaginando tudo o que faria, não toma nenhuma atitude, de fato. Nisso, parece ter o mesmo comportamento da Frankie mesmo. Interessante.
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Que delícia a sua resenha, Mel! E eu agora preciso ler o "O Apanhador...", bem como o da Harpe Lee... rs

    Xerinhos!

    ResponderExcluir
  3. Carson McCullers é uma grande escritora, estou a ler (e a gostar) deste "Frankie e o casamento"; já tinha lido dois excelentes livros desta belíssima escritora ("O CORAÇÃO É UM CAÇADOR SOLITÁRIO" e "REFLEXOS NUM OLHO DOURADO" que adorei).

    Quem gostar de Joyce Carol Oates (livro imperdível "A FILHA DO COVEIRO") também gostará da Carson McCulllers.

    ResponderExcluir

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS