Poesia: Vinícius de Moraes

19 outubro 2013

Para comemorar o centenário de nascimento deste grande poeta, uma de suas poesias para abrilhantar esse sábado. 






A MORTE EM MIM. ALGUÉM (O MEDO) DESCE...

Rio de Janeiro , 2004


A morte em mim. Alguém (o medo) desce
Uma rua noturna, e de repente
Vê, soturna, no céu, a Lua, e sente
O horror da Lua, e súbito enlouquece.

A morte em cada ser. E alguém (a mágoa)
Que por insone chega-se à janela
Possui a mesma Lua dentro dela
Que em sua carne se transforma em água.

A Poesia em tudo.
E a doçura de não ser mais. Ficará
Sentado, na vertente, junto ao rio
Vendo umas nuvens brancas, vendo o rio.

2 comentários:

  1. Que lindo:
    "A Poesia em tudo.
    E a doçura de não ser mais. Ficará
    Sentado, na vertente, junto ao rio
    Vendo umas nuvens brancas, vendo o rio."
    *.*

    ResponderExcluir

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS