Sobre escritores : Machado de Assis

25 janeiro 2013

Olá !

Sempre que estou lendo um livro, tento pesquisar um pouco sobre o autor, isso acho que já comentei em outro post, mas como o blog tem tido muitas visitas novas (YAY! Obrigada a todos!!) resolvi explicar o porque geralmente antes de uma resenha falo um pouquinho, despretensiosamente sobre o autor que estou lendo.



Sim, estou lendo Machado de Assis, acabei achando um livro antigo aqui em casa, com uma compilação de contos do Machado e comecei a ler, aí como é de regra (para mim) fui ler um pouco mais sobre Machado, e é dessas pesquisas que saí esse post. 

Machado de Assis, nascido Joaquim Maria Machado de Assis, no Rio de Janeiro a 21 de junho de 1839 e falecido a 29 de setembro de 1908, é o fundador da cadeira 23 na Academia Brasileira de Letras. 

Filho de um operário, negro, perdeu a mãe e o pai pequeno, sofreu com as peripécias da vida desde muito cedo. Estudou como pôde, por ser pobre, mas mesmo assim, aos 15 anos publica seu primeiro texto, um soneto, no "Periódico dos Pobres". Dois anos depois começa a trabalhar como tipógrafo na Imprensa Nacional e conhece Manuel Antônio de Almeida o qual se tornou seu "protetor" e daí para frente foi uma sucessão de trabalhos em redações, jornais e empregos que o levou a publicar uma série de contos. 

Assim, em respeito a sua trajetória, convém tirar a aura de que Machado de Assis nasceu gênio, no sentido romântico do termo: haveria homens que nascem gênios e isso justificaria a cota pesada de sofrimento e dor que os distinguiria de todos os outros. Como outros mestiços e pobres que se tornaram figuras representativas do Brasil do II Império, Machado de Assis teve de enfrentar condições sociais adversas ao livre desenvolvimento de seu talento, numa sociedade que advogava no discurso princípios liberais sem, porém, alterar a base escravocrata da organização do trabalho. Nessa sociedade, a mobilidade social e a notoriedade para os humildes eram a exceção que confirmava a regra e que levava à cooptação. (RABELLO, Ivone Daré. Machado de Assis: um homem genial?. J. epilepsy clin. neurophysiol. [online]. 2008, vol.14, n.4, pp. 193-196).

Seu primeiro romance "Ressurreição" saí em 1872, e não parou mais, uma série de obras brilhantes se seguiram após a primeira. Obras que marcaram sua época e a história da literatura.

As obras de Machado se estendem por gêneros diversos, romantismo e realismo, por tipos de texto igualmente amplos, contos, crônicas, poesias, romances, enfim foi um escritor completo. 

Em 1869, casa-se com Carolina Augusta Xavier de Novais, com quem ficou casado por 35 anos, ao que dizem algumas biografias, num casamento perfeito (ou nem tanto assim). 

"Carola", como Machado chamava sua esposa (Fonte: wikipedia)

Nesses anos, de 1869 a 1878, dedica-se, como escritor, a revelar, pela literatura, os males do patriarcalismo, na perspectiva de aperfeiçoá-lo. Tenta mostrar que, se o homem talentoso fica à mercê do homem rico, muitos são os males: para o protegido, para o protetor, para o Brasil. O problema crítico, de origem biográfica, traduzia-se na produção literária da chamada primeira fase machadiana, especialmente A mão e a luva, Helena e Iaiá Garcia.
As obras lhe trouxeram fama: quando morre José Alencar, em 1877, Machado de Assis é considerado seu herdeiro no campo das letras nacionais. Mas esse também é o momento das graves crises de epilepsia. (RABELLO, Ivone Daré. Machado de Assis: um homem genial?. J. epilepsy clin. neurophysiol. [online]. 2008, vol.14, n.4, pp. 193-196).
Machado era um escritor de seu tempo e de todos os tempos, retratava sua realidade como ninguém, testemunhou a mudança política do país de um Império a República, e foi um dos grandes analistas dessas mudanças. 

Machado influenciou grandes nomes da literatura brasileira,  como Olavo Bilac, Lima Barreto, Carlos Drummond de Andrade, entre outros, assim como foi influenciado por diversos autores. 

Diferente de outros escritores, alcançou fama e reconhecimento ainda vivo, obviamente hoje em dia o panorama não é diferente, com toda certeza hoje, muito maior, diversas teses, estudos, artigos estudam sua obra e sua vida, aqui e no exterior. É considerado um dos gênios da literatura mundial. 

Minha história com Machado começou a muito tempo, mas isso não quer dizer de forma nenhuma que eu sou uma leitora voraz de suas obras e que tenho muito conhecimento sobre ele, não, não tenho, infelizmente. Mas como disse, conheci o Machadão, na adolescência, quando minha mãe trouxe para casa sua edição antiguinha de Quincas Borba, soltando elogios aos quatro ventos de como aquele livro era ótimo e deveria ser lido. 

Daí para frente li mais algumas coisas, mas poucas em comparação com a extensa obra do autor, enfim estou tentando pagar mais essa dívida com a literatura brasileira e, principalmente com Machado. Espero que consiga. 



Até mais!







Para maiores informações  acesse : http://www.machadodeassis.org.br/

8 comentários:

  1. Oie Melissa!

    Farei uma confissão bombástica agora ... não gosto de Machado de Assis ;$ li alguns livros dele na escola e eles me traumatizaram. Na época eu achei muito maçante, porém hoje não me arrisco em ler novamente.

    bjus e um ótimo final de semana!;****
    anereis.
    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ane, não vejo problema nenhum em não gostar de Machado, não encaro essas coisas como um crime rsrs
      A gente tem que buscar os livros que mais nos agradam assim como seus autores. O bom de tudo é a diversidade, cada um gosta de uma coisa e vamos compartilhando nossas leituras.
      bjos

      Excluir
  2. No!
    Não gosto dele!
    Sempre preferi José de Alencar, porque sou romantica!hauahauahau
    Beijos
    Rizia- Livroterapias
    http://livroterapias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rizia, eu já sou o contrário, tenho problemas com aqueles livros melosos demais kkkk terminar Senhora foi um sacrifício para mim.
      bjos

      Excluir
  3. Eu peguei um certo trauma de Machado de Assis por que na escola fui obrigada a ler Dom Casmurro e na epoca eu não suportava ler hahaha
    Hoje em dia eu leio, mas ainda tenho um pé atrás com ele hehe
    Beijinhos!
    http://fulanaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kezia ! Leitura obrigada nunca é bom né?! Eu tenho problemas assim, com aqueles livros românticos, tipo José Alencar, Alvares de Azevedo, eu achava meloso demais e era obrigada a ler no colégio.
      bjos

      Excluir
  4. Sou fã de Machado. Um dos meus livros favoritos é dele: "Memórias Póstumas de Brás Cubas". Infelizmente tão poucos gostam do ápice da nossa literatura. Ele foi um gênio, o mestre das palavras brasileiro.

    M&N | Desbrava(dores) de livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá !
      Memórias tb é um dos meus favoritos !
      abraços

      Excluir

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS