Sobre escritores: Oscar Wilde

03 novembro 2012

Uma das minhas muitas manias ao ler um livro é descobrir a biografia de quem o escreve, dessa vez foi a vez do Oscar Wilde.



Já tinha certo conhecimento sobre sua história, porque a uns bons anos atrás, assisti a um filme biográfico de Wilde, que foi o grande causador pelo meu interesse inicial pela sua obra. Associado a isso estava meu interesse crescente pelo seu país de origem, por alguma razão sou completamente apaixonada pela Irlanda.

Enfim, esse filme me despertou para Wilde (Wilde, 1997), a partir daí comecei a ler sua obra e li pela primeira vez O Retrato de Dorian Gray.

Sobre o livro eu falo depois, mas vamos a figura interessante que foi Oscar Wilde.

Nasceu em Dublin em 16 de outubro de 1854, grande parte de sua contribuição literária foi através da dramaturgia, diversos textos foram escritos e encenados ainda quando estava em vida nos teatros de Londres e Paris. 

Peças como Salomé, Um Marido Ideal e A Importância de ser Prudente, levaram-no a um intenso reconhecimento, ganhando diversos prêmios. 

Seu único romance O Retrato de Dorian Gray, é considerado hoje uma das obras-primas da literatura inglesa. 

Publica ainda contos como O Príncipe Feliz e O Rouxinol e a Rosa, contos esses escritos para os seus filhos, e O Crime de Lord Artur Saville.

Wilde se casa com Constance Lloyd e com ela tem 2 filhos : Cyril, em 1885 e Vyvyan, em 1886.



Durante o período de lançamento de Dorian Gray, começam a surgir mais fortemente rumores, já até certo ponto conhecido, sobre envolvimentos amorosos homossexuais de Wilde. Ele se envolveu com Lord Alfred Douglas, ou Bosie, que era seu apelido. E por esse envolvimento ele foi condenado, sim, porque naquela época na Inglaterra, ter um relacionamento homossexual era considerado crime. 

Oscar e Bosie

O pai de Bosie, o Marquês de Queensberry, sabendo do relacionamento dos dois, enviou a Wilde, uma carta onde o ofendia e o recriminava escrevendo : "A Oscar Wilde, conhecido Sodomita".

Obviamente Wilde se sentiu ofendido e iniciou um processo em 1895 contra o pai de Bosie por difamação. Tentou tardiamente desistir do processo, mas sua vida já havia sido exposta bem como seus relacionamentos. Inicia-se um novo processo, onde foi condenado.

Lorde Alfred "Bosie" Douglas


Sua fama começa a desmoronar, seus livros são recolhidos e as peças retiradas de cartaz. Todos os seus bens foram leiloados para pagar os custos do processo, deixando-o na miséria. 

Passou dois anos na prisão condenado a trabalhos forçados. 

Além de seus bens perdeu também a família, sua esposa o deixou, levando os filhos embora consigo para a Suiça. Mais tarde seus filhos e Constance inclusive mudariam seus sobrenomes de Wilde para Holland. 

Na prisão, Oscar Wilde produziu um de seus melhores trabalhos, De Profundis, que é uma longa carta a Alfred, além disso, escreveu A Balada do Cárcere de Reading

Foi liberto em 19 de maio de 1897, poucos pessoas o esperavam, um deles foi seu amigo Robert Ross, presente até seus últimos momentos. Passou a morar em Paris, numa vida simples e pobre. 

Oscar Wilde morreu em Paris, em 30 de novembro de 1900, de meningite, ao lado do seu amigo Robert Ross.


Escritor brilhante com uma vida trágica, condenado por ser diferente da maioria de sua época. A coragem de Oscar Wilde ser quem ele realmente era, ao meu ver, é um dos pontos mais admiráveis desse brilhante escritor. Pena que ele teve de sofrer por ser quem ele era. 



Até mais !

Para saber mais: Oscar Wilde website




Um comentário:

  1. Melissa, ótima postagem!
    Conheci um pouco do Wilde com um vídeo da Tatiana Feltrin, fiquei bastante em conhecer mais de sua obra e vida - que, suspira fundo, foi bastante difícil...
    Acho que vou ler, em breve, O Retrato de Dorian Grey que comprei na Bienal e, em seguida, alguma biografia sobre sua vida :]

    Beigos,
    Maura - Blog da /mauraparvatis.

    ResponderExcluir

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS